RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ AM 1270 KHZ
RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ AM 1270 KHZ - Por JMultimidia.com.br - Versão: (Beta)
 
FacebookTwitterMSN Fale Conosco (97) 3343-3017
RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ
 
Pgina Inicial A Rdio Programao Equipe Notcias Fotos Vdeos Agenda Promoes Mural Contato
noar
Ouvir a Rádio RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ
IRMÃ LIANI
CORDENAÇÃO DE PASTORAL
De 07:00 às 07:30
Ampliar Imagem
pedidos
enquete
O QUE VOCÊ ACHA DO GOVERNO TEMER

ÓTIMO
BOM
RUIM
PÉSSIMO

promocoes
Nenhuma promoção cadastrada!
Cadastrar-se   Ver Todas As Promoções
previsao
Siga-nos no Twitter promocoes
WALCY DE MORAES
Tarde Musical e Toque de Saudade
Mais detalhes
RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ AM 1270 KHZ - Por JMultimidia.com.br - Versão: (Beta)
Notícias - RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ voltar
NOTICIAS
floresta amazônica
O estudo, que teve aporte financeiro da Fapeam e de outras instituições, verificou se plantas e pássaros podem influenciar na presença de borboletas frugívoras, que se alimentam de frutos em decomposição


Estudioso de insetos diversos, o doutorando em Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Márlon Breno Costa Santos, desenvolveu um projeto de pesquisa que estudou as borboletas frugívoras – que se alimentam de frutos em decomposição – para investigar se, tanto plantas como pássaros podem influenciar a ocorrência dessas borboletas em um determinado local. A pesquisa, que recebe aporte do Governo do Estado por meio do Programa de Apoio a Excelência Acadêmica (Pró-Excelência), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), foi feita na Reserva Florestal Adolpho Ducke, na Zona Norte de Manaus, e estudou as borboletas segundo a sua espécie e de acordo com algumas características delas, como tamanho do corpo e tipo de alimentação das lagartas (borboletas jovens). Segundo Márlon, a coleta foi feita com armadilhas conhecidas como “arapuca entomológica”, na qual se coloca banana e melaço estragados como isca para as borboletas. Todo o processo da pesquisa foi dividido em cinco fases. “Primeiramente, nós elaboramos a ideia de como seria feita a coleta das borboletas na floresta. Depois de analisarmos que a melhor maneira seria pela arapuca entomológica, nós partimos para a coleta em si, daí nós fizemos a identificação das espécies capturadas assim como a montagem e medição das características delas. Por fim, passamos para os testes estatísticos e com os resultados, montamos o artigo científico”, disse Santos. Uma das questões que a pesquisa procurou entender foi como as borboletas se distribuem no espaço, de maneira a alertar sobre a degradação das florestas que pode levar ao desaparecimento de espécies, causando, assim, um imenso desequilíbrio ambiental. “O nosso objetivo é que o principal beneficiado com esse trabalho seja a sociedade civil: eu e toda a população amazônida como cidadãos. Nós dependemos dos recursos naturais muito mais do que é atribuído, seja para comer, vestir, morar, sem falar no clima do planeta que é balanceado pela nossa imensa Amazônia e outras florestas tropicais. Por isso, cuidar do nosso patrimônio - a floresta - é essencial para o nosso futuro, e o que poucas pessoas sabem é que as borboletas têm um papel muito importante nisso tudo”, ressaltou Márlon. De acordo com o pesquisador, o estudo foi realizado dentro da Reserva Adolpho Ducke porque lá se concentra várias espécies de plantas e borboletas que ajudaram a chegar a um resultado maior para o projeto: fornecer dados para a comunidade científica local, regional e internacional para serem usados como auxílio e fortificação na criação de projetos maiores que visam à conservação de paisagens em escalas globais. Além disso, espera-se um olhar mais atento para a dinâmica biológica que ocorre dentro da Reserva Adolpho Ducke, com a finalidade de promover a sua preservação frente à expansão urbana de Manaus, não permitindo que a reserva se torne apenas um fragmento florestal no meio da cidade. Parcerias O projeto de pesquisa contou com vários parceiros ao longo de sua duração. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientíifico e Tecnológico (CNPq), que forneceu bolsa de mestrado para Márlon e auxiliou na coleta das plantas, a Capes que forneceu bolsa de doutorado para um dos participantes do projeto, e o Programa de Pesquisas em Biodiversidade (PPBio) que forneceu a infraestrutura. Além deles, pesquisadores e doutores do Inpa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e da Universidade de São Paulo (USP) contribuíram com dados sobre plantas e borboletas da Reserva Ducke, assim como a Fapeam, que custeou todas as despesas de campo durante a coleta das borboletas. Para Santos, a Fundação de Amparo à Pesquisa está presente na maior parte das pesquisas e do conhecimento científico produzido no Estado do Amazonas. “Ela incentiva os pesquisadores do nosso Estado a realizar trabalhos que possam ter grande impacto na comunidade científica internacional e ajuda a solidificar o Norte do Brasil no cenário científico mundial”, afirmou. O estudo foi finalizado em 2015 com a publicação do artigo neste mesmo ano.

Publicado dia 17/08/2016 às 21:43:16

 
TODAS AS MATÉRIAS DA SEÇÃO NOTICIAS
28/08/2017 - MEIO AMBIENTE
11/08/2017 - PESQUISA
01/08/2017 - Pirarucu
25/07/2017 - PESQUISA
23/07/2017 - FAZENDA DA ESPERANÇA
11/07/2017 - PESQUISA
31/05/2017 - IMAGEM DE NOSSA SENHORA APARECIDA
27/05/2017 - CURSO DE COMUNICAÇÃO
12/04/2017 - ENCHENTE
06/04/2017 - INTERNET BANDA LARGA
PUBLICIDADE
Diminuir Texto Aumentar Texto
top10
Documento sem título
ANITTA E ALESSO
IS THAT FOR ME
Documento sem título
PAULA FERNANDES
TRAIDOR
Documento sem título
CLAUDIA LEITE
BALDIN DE GELO
Documento sem título
DJ ALUCK & BRUNO MA... 
HEART ME NOW (REMIX)
Documento sem título
JOTA QUEST
PRA QUANDO VOCE SE LEMBR... 
Documento sem título
MAJOR LASER E ANITT... 
SUA CARA (REMIX)
Documento sem título
COLDPLAY
HYPINOTISED
Documento sem título
LUIS FONSI E ISRAEL... 
DESPACITO (PORTUGUES)
Documento sem título
TRIBALISTAS
DIÁSPORA
Documento sem título
IVETE SANGALO E WES... 
A VONDADE
publicidades
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
Anuncie Aqui
RÁDIO EDUCAÇÃO RURAL DE TEFÉ
Todos os Direitos Reservados © 2018
Praça Santa Tereza, 283 - Tefé-AM, CEP: 69.550-053
Fone: (97) 3343-3017
Desenvolvido por JMultimídia